As bases farmacológicas dos cuidados farmacêuticos: o caso dos AINEs

M.M. Castel-Branco, A.T. Santos, Carvalho R.M., Maria M. Caramona, L.M. Santiago, Fernando Fernandez-Llimos, I.V. Figueiredo

Resumo


A polimedicação aumenta o risco de reações adversas, interações e uso incorreto dos medicamentos. Nos idosos é bastante prevalente, potenciando ainda mais os problemas relacionados com os medicamentos, uma vez que estes também resultam das alterações fisiológicas e multimorbilidades do envelhecimento. Sabendo que os anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) são fármacos muito usados pelos idosos, foram objetivos deste trabalho caracterizar potenciais interações entre AINEs prescritos e a restante medicação em idosos e criar uma lista de recomendações relacionadas com a monitorização destes doentes, de modo a evitar ou detetar precocemente tais interações.

Análise retrospetiva dos dados referentes à medicação prescrita de uma amostra de idosos de uma Unidade de Cuidados de Saúde Primários (Centro de Saúde de Eiras, Coimbra, Portugal) presentes numa consulta médica entre 2 e 16 de janeiro de 2012.

Foram revistos os regimes farmacoterapêuticos de 29 doentes a tomar pelo menos 1 AINE, cerca de 3 meses antes da recolha de dados, num total de 37 AINEs prescritos. Foram encontradas 123 interações moderadas e 2 minor. As principais interações ocorreram entre AINEs e diuréticos (17,6%), antagonistas dos recetores da angiotensina (14,4%), bloqueadores da entrada do cálcio (12,0%) e inibidores da enzima de conversão da angiotensina (8,8%). A prevalência de interações entre AINEs foi de 12,8%. Elaborou-se uma lista de recomendações para monitorização dos doentes quando não se podem evitar as ditas interações. Estas interações devem ser tidas em conta no momento da prescrição e cedência de AINEs, pois podem desencadear efeitos negativos tais como alterações renais e aumento da pressão arterial.

O farmacêutico pode desenvolver um papel relevante em serviços como a revisão da medicação, para identificar estas interações potenciais, ou no acompanhamento farmacoterapêutico, na gestão destas situações quando devidamente identificadas. Salienta-se a importância da interação positiva com a Medicina Geral e Familiar para a segurança e a eficiência das terapêuticas. 


Palavras-chave


Idosos; Serviços farmacêuticos clínicos; Polimedicação; Interações medicamentosas; Anti-inflamatórios não esteroides (AINEs)

Texto Completo:

PDF

Referências


Portugal, Instituto Nacional de Estatística, I.P. – Censos 2011 Resultados Definitivos - Portugal. Lisboa: Instituto Nacional de Estatística, I.P. 2011. ISBN 978-989-25-0181-9.

Midlov, Patrick; Eriksson, Tommy; Kragh, Annika – Drug-Related Problems in the Elderly. 1a Ed. UK: Springer Science and Business Media B. V., 2009. ISBN 978-90-481-2445-9.

Guimarães, Serafim; Moura, Daniel; Soares da Silva, Patrício – Terapêutica medicamentosa e suas bases farmacológicas. 5a Ed. Porto: Porto Editora, 2006. ISBN 972-0-06029-8.

California State Board of Pharmacy – Drug Thera- py Considerations in Older Adults. Health No- tes, 2003, Vol. 1, No 7. Califórnia.

Álamo González, Cecilio – Guia Farmacológico de Analgésicos. Revisfarma – Edições Médicas Lda., 2007. ISBN 978-989-8036-09-4.

Tannenbaum, Hyman et al. – An evidence-based approach to prescribing NSAIDs in musculo- skeletal disease: a Canadian consensus. Can Med Assoc. J 1996; 155:77-88.

Castel-Branco, M.M. et al. – Necessidades reais de implementação de novos serviços farmacêu- ticos centrados no doente. Acta Farmacêutica Portuguesa, 2011; 1 (2) 15-22. ISSN 2182-3340.

Drugs.com – Drug Information Online. [Acedido em Fevereiro e Março de 2012] Disponível na Internet: http://www.drugs.com

INFARMED, Portugal – Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, I.P. / Mi- nistério da Saúde. Infomed. Disponível na In- ternet: http://www.infarmed.pt/infomed/inicio. php

Trelle, S. et al. – Cardiovascular safety of non-ste- roidal anti-inflammatory drugs: network meta- analysis. Br Med J. 2011; 342: c7086


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Acta Farmacêutica Portuguesa - ISSN: 2182-3340