Utilidade dos índices de Mentzer, England and Fraser e %GRmicrocíticos/%GRhipocrómicos na avaliação laboratorial das anemias microcíticas

Clara Botelho Moniz

Resumo


O diagnóstico diferencial das anemias microcíticas é complexo e a sua investigação laboratorial tem um custo elevado. O uso de índices para racionalizar a abordagem diagnóstica tem sido proposto para contornar essa problemática.
O objetivo deste estudo foi avaliar a utilidade dos índices e fórmulas de Mentzer, England and Fraser e %GRmicrocíticos/%GRhipocrómicos (índice “ADVIA”) para o diagnóstico diferencial entre síndrome talassémico e deficiência em ferro.
Foram selecionadas 65 amostras para revisão do esfregaço de sangue periférico a partir da rotina laboratorial por apresentarem anemia microcítica e calcularam-se os índices de Mentzer, England and Fraser e “ADVIA”. Determinou-se a respetiva percentagem de HbA2 por eletroforese capilar.
O índice Mentzer foi o que apresentou uma maior sensibilidade (97,37%) para síndrome talassémico, seguindo-se o índice “ADVIA” (92,11%) e por fim o índice England and Fraser (73,68%).
Os índices calculados com base em alguns parâmetros da série rubra do hemograma têm bom poder discriminatório para a suspeição diagnóstica de síndroma talassémico e é recomendado o seu uso como auxiliar na seleção de amostras a testar reflexamente para evidenciar uma percentagem de HbA2 elevada.


Texto Completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Acta Farmacêutica Portuguesa - ISSN: 2182-3340